01
dez

Como lidar com a seletividade alimentar

Incentivar hábitos alimentares saudáveis em crianças teimosas exige paciência e consistência nas regras. Veja algumas dicas de como lidar com esta dificuldade:

 

  1. Estabeleça uma rotina. Crianças com fome tendem a ser menos exigentes que as crianças que comem “besteiras” durante todo o dia. Crie um horário no dia em que o lanche será servido. Isso irá garantir que seu filho estará com fome quando opções saudáveis são oferecidas. Faça com que seu filho tenha horário para tomar o café da manhã, comer o almoço e o jantar. Manter horários regulares para as refeições fará com que seu filho coma apenas quando a comida está disponível.

  2. Evite os alimentos não saudáveis. Mantenha em sua casa opções de alimentos saudáveis. Tire da despensa e da geladeira as guloseimas. Quando só há  opções de alimentos saudáveis, a criança que está com fome tenderá a escolher os alimentos oferecidos com menos reclamações. Mantenha os lanches saudáveis acessíveis, como por exemplo, sirva cenouras e vegetais cortados em palitos e frutas em cubos. A aparência de que é fácil comer um alimento pode ajudar na tarefa de comer.

  3. Adicione gradativamente os alimentos saudáveis. Introduza alimentos saudáveis no prato preferido do seu filho. Lembre-se de iniciar com poucas quantidades. Tente substituir a fritura pelo alimento assado no forno; coloque menos açúcar no suco; evite sucos artificiais; misture um elemento saudável em pouca quantidade no prato de costume da criança. Pequenas mudanças farão com que a criança aprenda a comer melhor.

  4. Pratos coloridos. Brinque com o seu filho antes das refeições. Mostre para ele quantos alimentos coloridos existem e, peça para ele experimentar comer cada cor. Reforce com itens de preferência as tentativas de seu filho comer um alimento novo. Isso pode incentivar a criança a comer mais vegetais e experimentar novos alimentos.

  5. Apresente os alimentos em quantidades menores. Pense no custo da resposta do seu filho. Assim como qualquer atividade, comer um alimento saudável também é uma demanda para ele filho. Quando apresentamos um prato com muita comida, a criança pode pensar “Vou precisar comer tudo isso? Acho que é melhor eu começar a chorar, gritar… Quem sabe a minha mãe desiste dessa ideia!”. Ao apresentar uma quantidade menor, o seu filho pode pensar “Hum, só isso? Acho que eu consigo!”. Deixe o seu filho decidir quando está satisfeito, desde que se comunique adequadamente.

  6. Seja um modelo para o seu filho. Na maioria das vezes, a restrição alimentar foi um comportamento instalado na história de vida da criança. Sirva somente os alimentos que você come. Não é justo exigir que o seu filho coma um alimento saudável enquanto vê os seus pais comendo batata frita e nuggets. Faça com que as refeições sejam feitas à mesa e não na frente da televisão.

  7. Prepare a refeição com o seu filho. Peça a ajuda do seu filho na hora de preparar a refeição. Ele pode gostar de amassar a batata para fazer o purê, colocar as frutas no liquidificador para fazer o suco, acender a luz do forno, misturar o molho na salada, etc. Quanto mais o seu filho tiver contato com os diferentes alimentos, menos estranho será para ele experimentá-los.

 

Muitas crianças com autismo podem passar por fases em que somente comem um determinado alimento. No entanto, diminuir a frequência e a quantidade dos alimentos não saudáveis na rotina da criança sempre irá ajudar a família a enfrentar essas fases difíceis. Caso você ainda não esteja satisfeito com essas dicas, veja abaixo um procedimento usado com Sabina, uma menina de 7 anos com Transtorno do Espectro do Autismo. Sabina só comia omelete e só tomava um suco de soja no sabor laranja.

 

Plano de Intervenção Comportamental

Objetivo

Variar o repertório alimentar de Sabina

Método

  1. Apresentação simultânea de comidas/bebidas preferidas e comidas/bebidas não preferidas

  2. Retirada gradativa da comida/bebida preferida.

Procedimentos

Reforçamento Positivo –  Este procedimento envolve a apresentação de um reforçador positivo contingente à uma resposta, tendo como objetivo aumentar a ocorrência futura desta resposta.

Emparelhamento Reforçador – Este procedimento envolve o pareamento de uma comida/bebida preferida com uma comida/bebida menos preferida, assim, as duas comidas/bebidas são consumidas simultaneamente.

Retirada do Estímulo – Este procedimento consiste em eliminar aos poucos a comida/bebida  pareada até que a comida/bebida não preferida seja apresentada sozinha.

 

Plano de Intervenção

Café da manhã/Lanche da tarde

Passo 1: Na ausência de Sabina, misture #% do suco não preferido com o suco preferido de Sabina.

Passo 2: Dê a instrução “Sabina, quando você terminar de tomar o seu suco, você pode comer (comida preferida)”.

Almoço

Passo 1: Na ausência de Sabina, misture uma porcentagem da comida não preferida com a comida preferida, por exemplo, x% de purê de mandioca com 1 ovo (veja em anexo lista da porcentagem da mistura da comida preferida e não preferida).

Passo 2: Decida com Sabina a recompensa que ela receberá quando comer toda a comida oferecida, como por exemplo, comida preferida (banana, gelatina)

Passo 3: Elogie toda vez que Sabina engolir a comida/bebida.

Passo 4: Quando Sabina terminar de comer/beber a comida/bebida oferecida, dê a recompensa e elogie muito!

Notas:

  1. O procedimento terminará quando a última garfada ou gole for consumido ou quando o tempo limite for alcançado, ou seja, após uma hora que o procedimento iniciou.

  2. O procedimento deverá ser conduzido regularmente, durante as refeições em casa.

  3. Caso Sabina se recuse a beber ou comer após ter experimentado a comida/bebida, não insista. Quando Sabina estiver com fome, ofereça novamente a comida.

Critério de avanço/regresso: quando a porcentagem de aceitação da comida/bebida for acima de 75% por três dias consecutivos, você passará para a próxima etapa do emparelhamento/retirada. Caso ocorra 5 recusas consecutivas, volte para a etapa anterior.

Lista de etapas a serem ensinadas

Anote quando você começou a ensinar (linha de base), quando a resposta foi aprendida.

Respostas a serem ensinadas

Linha de base

Atingiu critério aprendizagem

Respostas a serem ensinadas

Linha de base

Atingiu critério aprendizagem

1 ovo

1 colher de chá de purê de mandioca

195 ml suco de soja

5 ml de suco natural de laranja

1 ovo

2 colheres de chá de purê de mandioca

190 ml suco de soja

10 ml de suco natural de laranja

– 1 colher de chá de ovo

2 colheres de chá de purê de mandioca

185 ml suco de soja

15 ml de suco natural de laranja

– 1 colher de chá de ovo

3 colheres de chá de purê de mandioca

180 ml suco de soja

20 ml de suco natural de laranja

– 2 colheres de chá de ovo

3 colheres de chá de purê de mandioca

175 ml suco de soja

25 ml de suco natural de laranja

– 2 colheres de chá de ovo

3 colheres de chá de purê de mandioca

170 ml suco de soja

30 ml de suco natural de laranja

– 3 colheres de chá de ovo

4 colheres de chá de purê de mandioca

165 ml suco de soja

35 ml de suco natural de laranja

– 4 colheres de chá de ovo

4 colheres de chá de purê de mandioca

160 ml suco de soja

40 ml de suco natural de laranja

– 4 colheres de chá de ovo

5 colheres de chá de purê de mandioca

155 ml suco de soja

45 ml de suco natural de laranja

– 5 colheres de chá de ovo

6 colheres de chá de purê de mandioca

150 ml suco de soja

50 ml de suco natural de laranja

– 6 colheres de chá de ovo

6 colheres de chá de purê de mandioca

140 ml suco de soja

60 ml de suco natural de laranja

– 6 colheres de chá de ovo

7 colheres de chá de purê de mandioca

130 ml suco de soja

70 ml de suco natural de laranja

½  ovo

mesma quantidade de purê de mandioca

120 ml suco de soja

80 ml de suco natural de laranja

110ml suco de soja

90 ml de suco natural de laranja

100 ml suco de soja

100 ml de suco natural de laranja

Priscilla Braide
Analista do Comportamento – Stimulus ABA