01
dez

Modificando comportamentos inadequados

Os comportamentos inadequados são um dos maiores obstáculos do tratamento de pessoas com desenvolvimento atípico. Alguns comportamentos podem ser muito difíceis de serem alterados e podem great muito estresse e frustração tanto para a pessoa que emite estes comportamentos, quanto para as pessoas que fazem parte de sua rotina.

Por terem sido efetivos na história de reforçamento do indivíduo, os comportamentos inadequados são muito difíceis de serem modificados.

Estes comportamentos estão adaptados, ou seja, estão sendo mantido pelo ambiente.

Programas baseados na Análise do Comportamento partem do princípio de que os comportamentos foram aprendidos por causa das consequências resultantes, isto é, se uma consequência positiva foi produzida por um comportamento, este comportamento tem maior probabilidade de ocorrer em uma situação futura.

A diminuição de comportamentos inadequados envolve duas categorias gerais de intervenção: (a) a estratégia de ampliar o repertório comportamental e (b) a estratégia de diminuir um comportamento.

 

Comportamentos auto-estimulatórios

Auto-estimulação: um comportamento repetitivo, comportamento estereotipado que não parece ter nenhuma função além da gratificação sensorial.

Há três razões pelas quais devemos reduzir esses comportamentos:

  1. Eles interferem na aprendizagem;
  2. É muito reforçador para criança, fazendo com que os reforçadores mais adaptados sejam menos atrativos;
  3. É um comportamento estigmatizado

A auto-estimulação pode envolver os cinco sentidos, assim como a propriocepção.

O movimento do corpo é a maior categoria.

A segunda usando objetos com o propósito de promover sensações.

A terceira categoria é o ritual e obsessões.

Quais seriam as possíveis funções dos comportamentos auto-estimulatórios?

  1. Promover auto-estimulação (comportamento adaptativo para produzir gratificação);
  2.  Diminuir a frustração e estresse

Com o tempo, a auto-estimulação se torna muito potente. Sendo difícil contê-la ou suprimi-la.

Em crianças pequenas, a eliminação desses comportamentos deve ser a meta principal.

 

Regras para modificar os comportamentos inadequados

 

  1. Ignore o comportamento e não a criança. Fique atento ao que a criança faz. Imediatamente depois que o comportamento inadequado parar, outro mais próximo do adequado poderá ser reforçado.
  2. Fique atento aos comportamentos que antecedem aos problemas (Ex: agitação, respirações ofegantes, etc.) continue a atividade, mas dê mais reforçadores, elogie quando o aprendiz estiver realizando-a e facilite a atividade para que seja completada. Em outras palavras, evite problemas de comportamento.
  3. Deixar claro para o aprendiz que comportamentos como gritos, birras e agressões não irão livrá-lo da atividade que estava realizando.
  4. Se o problema de comportamento já estiver acontecendo, tente dar instruções já treinadas de autocontrole (mãos para baixo, sente-se, respire 5 vezes, conte até 10,  etc.) em tom firme. Fale o que ele precisa fazer e não o que não pode (Correto: GABRIEL, SENTA NA CADEIRA; Errado: Gabriel, você não pode bater na mamãe).

 

Priscilla Braide
Analista do Comportamento – Stimulus ABA